Informativo Federação dos Povos e Organizações Indígenas do Ceará -  FEPOINCE (01/09/2020)

Mapa, evolução e indicadores da Covid_19 nos territórios indígenas cearenses

No Ceará, 648 casos de Covid-19 já foram registrados entre indígenas, de acordo com os indicadores da Secretaria da Saúde do Ceará (SESA), dados de secretarias municipais e através de pesquisa realizada pelas organizações indígenas do Ceará. A Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) confirma 560 casos positivos com 445 pessoas recuperadas e 5 óbitos. São quinze povos indígenas atingidos pela pandemia no estado; dos 19 municípios cearenses com territórios indígenas, dezessete já registram casos de Covid-19. A curva epidemiológica, que apresentou tendência de queda na primeira quinzena de agosto, teve aumento no número de casos na segunda quinzena do mês.

1.png

Dos municípios do Ceará com territórios indígenas, os mais atingidos pela pandemia - que registram números de casos entre 40 e 190 - estão Itarema e Acaraú (nos territórios do povo Tremembé); Caucaia (nos territórios de dois povos: Anacé e Tapeba); Maracanaú e Pacatuba (no território do povo Pitaguary) e Crateús (onde estão localizados territórios de cinco povos: Potyguara, Tabajara, Tupinambá, Kariri e Kalabaça). Os demais municípios apresentam registros que variam entre 3 e 30 casos. 

2.png

O falecimento de um indígena do povo Tabajara, no município de Crateús, foi confirmado nesta semana, após mais de um mês sem ocorrência de óbito por Covid-19 entre indígenas no estado. As maiores altas de casos confirmados de Covid-19 observadas nesta semana, ocorreram nos municípios de Crateús e Monsenhor Tabosa, localizados na macrorregião do Sertão dos Crateús. Ressaltamos que, neste levantamento, a FEPOINCE também inclui os indígenas que não estão contemplados pelo atendimento do Subsistema de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas e que foram acometidos pela infecção por coronavírus, como são os casos de indígenas que vivem em áreas sem providências de processo demarcatório.

3.png