Informativo Federação dos Povos e Organizações Indígenas do Ceará - FEPOINCE (11/01/2021)

Mapa, evolução e indicadores da Covid-19 nos territórios indígenas cearenses no período de 01/12/2020  a 31/12/2020

C.png

O número de exames com diagnósticos positivos para a Covid-19 entre indígenas no Ceará passou de 1000 casos, até 31 de dezembro de 2020, de acordo com os indicadores da Secretaria da Saúde do Ceará (SESA), dados de secretarias municipais e através de pesquisa realizada pelas organizações indígenas do Ceará. Deste total, 989 pessoas já se recuperaram - representando mais de 97% dos casos. Lamentamos que nove indígenas não tenham resistido às complicações da Covid-19; os óbitos ocorreram entre os meses de maio a novembro do ano passado.

C (2).png

Em relação ao último boletim publicado pela FEPOINCE, com dados avaliados até 30/11/2020 (15 novos casos e com dados acumulados representando 944 casos confirmados), registrou-se um aumento de cerca de 8% no número de infectados pela Covid-19, chegando a 1017 casos até 31/12/2020; a média móvel nos períodos monitorados encerrou dezembro com cerca de treze novos casos (dados das duas últimas semanas), que foram registrados entre indígenas nos municípios da Macrorregião do Sertão dos Crateús, em Monsenhor Tabosa (+7%) e Tamboril (+115%); na Macrorregião do Sertão dos Inhamuns, em Quiterianópolis (+22%) e na Macrorregião da Grande Fortaleza, em Pacatuba (+2%) Maracanaú (+5%) e Caucaia (+24%). Atualizamos neste boletim os falecimentos de duas mulheres indígenas, ocorridos nos meses de outubro e novembro de 2020; o primeiro caso é de uma indígena do povo Potyguara do município de Monsenhor Tabosa, falecida em 10/10/2020, e o segundo caso ocorreu em 10/11/2020 e vitimou uma indígena do povo Kariri do município de Crateús.

C (3).png

A Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) confirma 917 casos positivos com 887 pessoas recuperadas e 8 óbitos. Ressaltamos que, neste levantamento, a FEPOINCE também inclui os indígenas que não estão contemplados pelo atendimento do Subsistema de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas e que foram acometidos pela infecção por Covid-19, como são os casos de indígenas que vivem em áreas sem providências de processo demarcatório.